• Agência X10

Ex-engenheiro da Apple desabafa sobre a falta do Flash no iPhone


Uma das encrencas públicas mais notáveis da história recente na indústria de tecnologia se deu entre Apple e Adobe porque a primeira se recusou a adotar uma das principais tecnologias da segunda — o Flash — em seus produtos móveis.

Em 2010, o cofundador e então CEO da Apple, Steve Jobs, divulgou uma carta explicando que sua decisão tinha a ver com problemas relacionados a itens como segurança e performance, mas a atitude continuou sendo tomada pelo mercado como pirracenta por anos, até que o Flash finalmente começou a morrer e a Apple acabou se saindo como quem disse “eu te avisei”.

Agora, um engenheiro dessa época trouxe o assunto à tona novamente para contar que, na verdade, a pirraça pode ter vindo pelo outro lado. Segundo ele, a Apple até chegou a testar o Flash em seus dispositivos — o que significa que a decisão acertada da Apple pode ter sido mero acaso. “Em 2008, a Apple testou suporte ao Flash no iPhone. Eu pessoalmente usei o cliente Pandora do Flash”, contou Bob Burrough, que na época atuava como gerente de desenvolvimento de software na companhia.

“A Apple afirmou que as razões para não suportar o Flash eram uma experiência de usuário pobre e o consumo excessivo de energia. Entretanto, Steve Jobs explicou à equipe na Apple que a razão principal era que Shantanu Narayen (CEO da Adobe) não respondia às suas ligações.” E continuou: “Ele lamentou a perda de um bom relacionamento entre as companhias que anteriormente resultou na cooperação Mac/Photoshop. [E] reconheceu que corrigir os bugs no software eram meros problemas de engenharia. Entretanto, sem um diálogo aberto com a Adobe, ele não poderia contar com eles para fazer isso.”

Burrough escreveu que uma das coisas que mais o incomodaram ao longo dos anos subsequentes foi ver as pessoas ridicularizando Jobs por ele ter resolvido seguir em frente no setor móvel sem oferecer suporte ao Flash. “A decisão foi acertada, tanto por razões técnicas quanto porque a Adobe era uma parceira de merda”, desabafou. “Quase uma década depois, acontece que Steve Jobs estava certo. O Flash está morto e a Adobe continua sendo uma parceira de merda.”

Via BGR

1 visualização0 comentário